Rubber: O Pneu Assassino

Desinopselogo2.png

Este artigo faz parte do DesFilmes, a sua coletânea de filmes rejeitados.
Enquanto você lê, um vilão de filme de ficção científica dispara raio laser pelos olhos

Cquote1.svg Pra mim, você não passa de um nada! Cquote2.svg
Buracos das estradas de países subdesenvolvidos sobre Robert, o Pneu
Cquote1.svg ... Cquote2.svg
Robert sobre comentário acima

Rubber: O Pneu Assassino
Rubber, O Pneu Assassino.jpg
Passaram ketchup no pneu, que patético...
82 min
Direção Quentin Tarantino Dupieux
Elenco Robert, o Pneu como Robert
Gênero Terror que não dá medo e comédia que não é engraçada
Produtora Independente
Lançamento 10 de novembro de 2010
Idioma Língua inglesa
Exibição Cannes

Rubber: O Pneu Assassino é um filmeco francês de terror e comédia sobre um protagonista que chama muita atenção logo de cara, pois é Robert, um pneu que é assassino (essa você não esperava) e que mata as pessoas com telecinese ou alguma macumba desse tipo, explodindo suas cabeças com a mente de pneu dele. É um filme sem pé nem cabeça, mas que é muito mal compreendido. Na verdade, o filme é sobre um filme de um pneu assassino... WTF??

EnredoEditar

  ATENÇÃO! O texto abaixo pode conter (ou não) um ou mais SPOILERS!

Ou seja, além de deixar o artigo com mais pressão aerodinâmica nas retas e mais estável nas curvas de alta, ele pode revelar, por exemplo, que o assassino do Motel é, na verdade, o garotinho, ou que Light morre, e é substituido por sua irmã.

 

Vários telespectadores vão pro meio do deserto assistir um filme na vida real, essas pessoas representam as próprias pessoas que estão assistindo o filme, uma ideia inteligentinha do produtor plagiada de Black Mirror. Eles têm que ouvir algumas bobagens nonsense do xerife Chad, diálogos claramente feitos pra encher linguiça. Até que um pneu abandonado cria vida. Ele não tá muito acostumado a ser um objeto animado, mas ele se deslumbra com a fama e dinheiro que pode ter se o filme fazer sucesso e começa a fazer suas primeiras vítimas, enquanto os espectadores acompanham pelos binóculos, não importando se o pneu está a quilômetros de distância ou fora do campo de visão deles. Depois de muita aventura explodindo coisas, nosso herói se apaixona por uma garota que encontrou no motel, inclusive batendo borracha enquanto a vê tomando banho (os telespectadores também aproveitam o momento).

 
  Meu Deus do céu, corre Berg!  
Xerife

Robert continua seus assassinatos pelas redondezas do motel e um xerife é chamado pra investigar porque caralhos está morrendo tanta gente no meio do deserto. Quase toda a plateia que está assassinindo o pneu assistido, ops, quero dizer, assistindo o pneu assassino, morre porque os organizadores do filme deram pra eles um peru envenenado pra terminar logo de vez com essa palhaçada, e só um otário que só queria assistir o filme que sobreviveu.

A polícia continua a procurar o assassino, até que o xerife pega no flagra o pneu matando o dono do motel e inicia uma caça a ele com os policiais. Fizeram uma armadilha pra ele com um manequim cheio de dinamites como se fosse a garota chamando ele pra um séquiçu, mas não dá muito certo, claro. O xerife então pega sua 12 e acaba com a raça do Robert. Até que ele... REENCARNA EM UM TRICICLO! Vários pneus assassinos se juntam a ele e marcham rumo a Hollywood rumo à dominação mundial. E é assim que acaba esse filme meia-boca.

PersonagensEditar

 
Robert pensando nos seus crimes.

Não tem muita coisa sobre os personagens, pois eles são muito mais do mesmo e não tem muito o que falar deles. Quer textão vai pra Wikipédia, otário!

  • Pneu: O grande astro do filme. Suas expressões faciais são melhores que qualquer atorzinho de Hollywood. Depois de canalizar seu ki e tremer bastante, consegue explodir qualquer coisa que vê pela frente.
  • Plateia: Uma sátira dos vários tipos de pessoas em um cinema, os que falam altos durante o filme, os que nem começou o filme e já tão entediados, etc. Acabam mortinhos da silva, como quase todos os outros personagens do filme.
  • Muié: Garota que está no filme só pro pneu gadear ela.
  • Xerife: É o clichê do xerife americano dos filmes pastelões.

RecepçãoEditar

A recepção não foi ruim, pois é um filme que tenta MUITO ser inteligente e tirar sarro das coisas, e as pessoas gostam disso. É um filme que dá pra dar umas risadinhas, mas é só. Muitos idiotas, mesmo os autoproclamados "cinéfilos", não entenderam que o filme é uma sátira com esses filmes hollywoodianos de terror com protagonistas digamos, não convencionais, e é um chute no cu dos críticos. Por que pode ter uma boneca assassina e não pode ter um pneu assassino? Por isso, falam mal do filme. Mas é o melhor filme já feito de todos os tempos [carece de fontes].

GaleriaEditar

Ver tambémEditar