Revolução dos Cravos

E a revolução dos cravos terminou com o cravo saindo ferido e a rosa despedaçada.

A Revolução dos Cravos, também chamada de Revolução de 25 de Abril de 1974, Golpe de 1974, onde tudo começou a dar errado, ou simplesmente 25 de Abril de acordo com a orientação política da pessoa a quem a pergunta é direcionada, foi a treta que pôs fim ao período ditatorial que Portugal sofria desde 1933, o Salazarismo, dando origem a um período mais amoroso, onde todos com seus cravos na boca puderam dançar um fado em paz, sem ninguém pra pagar de carola hipócrita e denunciar pros cumpinchas do ditador.

A treta foi orquestrada pelo Movimento das Forças Armadas, que curiosamente invés de transformar o país numa ditadura militar, igual tinha virado o filhinho rebelde dos lusitanos, na realidade livrou o país de Marcelo Caetano, o sucessor cretino do Titio Salazar. Sofrendo também as consequências da desgraceira que estavam sendo as Guerras contra suas então colônias africanas, as forças armadas do país se uniram em 1973 pra poderem derrubar o Estado Caduco. O movimento foi um sucesso, já que o povo em peso se uniu ao MFA porque se cagaram de medo de serem fuzilados por todos, já que ninguém aguentava mais um bando de velho cosplay de Mussolini governando a Terrinha. Só uns poucos teimosos e burros tentaram ser os do contra, mas depois que uns quatro foram pro beleléu, todo mundo cagou no pau e começou o balé com cravos na boca.

O regime estabelecido com a ajuda de uma Junta de Salvação Nacional se organizou com parcimônia, inclusive já preparando o que seria a constituição portuguesa de 1976, que é, pelo menos até agora, a atual constituição portuga pelo menos até o próximo golpe, que fará esse trecho do artigo perder totalmente o sentido.

ComeçoEditar

Os primeiros sinais de desestabilização do regime se deram em 1958, quando Salazar, para eleger um presidente como número 2, teve a concorrência de um militar que queria fazer parte do clubinho da UN. Sem ninguém para disputar, Salazar simplesmente escolheu a primeira pessoa a entrar no gabinete no dia para ser seu candidato nas eleições presidenciais, o que no caso, não significavam nada. Com medinho, Américo Tomás, o escolhido, pediu à PIDE para que garantisse sua vitória, o que foi possível graças a técnicas como intimidação, violação dos votos, violação dos eleitores, prisão, recontagens infinitas, apreensão de votos, prisão de eleitores adversários e claques de "eleitores" que migravam de uma urna a outra depositando votos já preenchidos.

Um vídeo do escrutínio da eleição de 1958 mostrando como o processo eleitoral da época era completamente justoEditar

Guerra ColonialEditar

Após Humberto Delgado ser convenientemente convidado a se exilar na terra dos pés juntos, a geração de militares que cresceram na OTAN substituía os velhos de guerra que nunca haviam entrado em guerra antes, enquanto em 1961, o pau começou a quebrar em Angola, onde o MPLA iniciava uma guerra (que nunca seria reconhecida oficialmente como guerra pelo governo português, que aliciava os militares com promessas de férias em Luanda com tudo pago). Mais tarde, no mesmo ano, os militares começaram a ambicionar tirar Salazar do cargo de führer-mas-pode-chamar-de-primeiro-ministro.

Desde a queda literal de Salazar da cadeira de primeiro-ministro e sua alteração para status de presidente de Schrödinger, pois ninguém sabia se ele havia morrido mesmo ou sido substituído por um dublê, a situação do Estado Novo deteriorava cada vez mais.

 
Após o congresso de 1970, a União Nacional mudava de roupagem e nome, fazendo uma afirmação mais clara das suas finalidades como partido único

ConsequênciasEditar

Marcello Caetano acabou se exilando no Brasil, onde recebeu o carinho dos ditadores locais e uma vaga de professor de administração de estados autoritários em uma universidade federal brasileira até morrer quatro anos mais tarde.

A volta dos socialistas ao poder resultou em uma vitória convincente do PS nas primeiras eleições livres de Portugal em muitos anos, o que levou a tensões com os inconformados do PCP, que na época, já faziam a Oposição de Direita.

Esse artigo é ridículo de tão pequeno!
Pelo amor de Deus, faça alguma coisa! Nem que seja um Viagra!