Ethevaldo Siqueira

Ethevaldo SiqueiraEditar

 
Ele existe mesmo, não é criação do Estadão.
 
Esse é o verdadeiro Etevaldo.

  Voce quis dizer: Neoliberal  
Google sobre Ethevaldo Siqueira
  A culpa não é minha  
Adam Smith sobre Ethevaldo Siqueira
  O dr. Vitor Chegou  
Relógio do Castelo para Ethevaldo
  Um grande amigo  
Mesquita, sobre Ethevaldo
  Esse aprendeu direitinho  
Joseph Goebbels, sobre Ethevaldo

OrigemEditar

Nascido há muitos e muitos anos no estado da [[Chuiça][São Paulo], naquela época, de seu nascimento, a população da cidade era de menos de 15.000 habitantes, pois isso faz muito tempo mesmo. José Anchieta presenciou possivelmente o nascimento do Ethevaldo. Mas isso já foi há muitos anos, anterior à chegada dos Chicago Boys, no Chile, de onde Ethevaldo inspiraria suas idéias.

História AcadêmicaEditar

 
Vamos explicar melhor quem defende o Zé Serra.

Formado na USPingaiadas,no curso de Jornalismo, da época que o lendário cidadão Kane rondava a mente dos alunos da sala e todo mundo afirmava de pé junto que não seguiriam o modelo. Parece verdade né. parece mesmo mas.... Ethevaldo formou-se na primeira turma e pensando em quanto tempo isso faz, seu diploma já deve ter sido comido por traças em alguma sala perdida no jornal??? se é que podemos chama-lo assim, Estadão. Como pra ser jornalista não precisa mais de diploma mesmo. Foi professor da USP, na ECA, escreveu uma porrada de livros que não têm utilidade nenhuma, servem pra nada, apenas pra defender um ponto de vista. Pelo menos nunca soube de ninguém que leu e nenhum curso de graduação e nem de pós que recomende os livros do Ethevaldo. Ganhou um monte de prêmios também, alguns de empresas públicas de comunicação nos anos 70 e 80, a quem ele chamaria de dinossauro, ineficiente, e outras bobaseiras neoliberais pra justificar a privatização do modo que ela foi feita.

Também escreveu o livro "Grandes Personalidades das Comunicações", onde puxa o saco dos executivos das empresas, dos ministros e dos chefes. Coincidentemente, das empresas que anunciam no seu blog.

A lição de casaEditar

Essa é a parte que fez com que os Mesquita olhassem pra ele e pensassem: - Esse é o meu garoto, isso no modo de dizer, porque poderia ser, esse é o meu vovô, que combinaria melhor. Ethevaldo

Na CBNEditar

Quem tem saco de ouvir o diário neoliberal fascista da rede Globosta via FM, a CBN (Central Bosta de Notícias), ouvirá pela manhã o Ethevaldo, dando suas pinceladas na área de tecnologia e comunicação, agora convenhamos, imaginem seu avô falando de como é importante determinada empresa expandir sua rede de Internet, é a mesma coisa, algo da primeira metade do século passado, falando sobre como devemos planejar o século XXI, e ainda acha que tem razão.

É interessante notar como as entrevistas pré gravadas e combinadinhas - ele escreve as perguntas e as respostas - se esforçam inutilmente para parecer autenticas. É como se o ancora olhasse para o ceu e dissesse do nada "quais as ultimas novidades de multiplexadores endopasmáticos de terceira dimensão?" e ai ele descorre como se soubesse de cabeça, com a voz de avô aquilo que ele acabou de ler em um outro site.

TelebrasEditar

Essa foi uma empresa do passado que deu um prêmio para o Ethevaldo em 1979, e em 1995 até a privatização em 1998, o Ethevaldo fazia duras críticas, e a maioria sem fundamento científico, apenas baseada em factoides, sobre a Telebras. Ai depois do Serra e o FgagáC conseguirem convencer as pessoas com a ajuda do PIG, ai sim veio a privatização das telecomunicações. No ano de 2010 quando o Lula afirma

A Privataria TucanaEditar

Ethevaldo, como especialista em notícias da área das telecomunicações, nunca disse nada sobre o livro do Amaury Ribeiro Junior que até deu origem a uma CPI. O livro em questão é "A Privataria Tucana" que trata sobre como foi feito o processo de privatização das telecomunicações do Brasil, e com um foco especial do sistema telebras e que começou com uma briga de tucanos, Aécinho do Po Never e Jose Burns Cerra para a candidatura de presidenciavel de 2010. Putz, "Sistema Telebras" é voltado para as comunicações, e o nosso amigo Ethevaldo nunca disse uma palavra sequer sobre o livro do Amaury.