Mudanças entre as edições de "Chile"

m
Bot: Check-up nos candidatos a melhor artigo, typos fixed: Coréia → Coreia, evocar → invocar
m (Bot: Check-up nos candidatos a melhor artigo, typos fixed: Coréia → Coreia, evocar → invocar)
=== Povos pré-hispânicos ===
 
Tudo começou quando alguns escravos dos [[astecas]] fugindo de [[Montezuma]] nadaram o [[oceano]] até chegarem ao [[Chile]] achando que era os [[Estados Unidos]], pois a [[bússola]] estava com defeito e trocaram o [[norte]] pelo [[sul]]. Aqueles dissidentes deram início ao Império Inca do Chile (que nada tinha a ver com o Império Inca do Peru) e começaram a construir pirâmides nos [[Andes]] e mumificar pigmeus.
 
A tribo mais proeminente desse território eram os bravos [[mapuches]], que para se acostumar ao clima árido hostil da região se tornaram guerreiros ferozes e violentos, mas que também tinham suas tradições. De acordo com os livros dos antigos sábios mapuches, ficar no Chile era um desafio por si só porque não existiam cadeiras confortáveis. Nessa época antiga a maioria das cadeiras no Chile eram feitas de uma melancia embrulhada em fita adesiva e fixada no chão com alguma cola feita da resina de algum cacto. Essas cadeiras tradicionais foram feitas pela primeira vez há cerca de 2.000 anos e eram conhecidas por fazer os chilenos preferirem ficar em pé do que sentar nelas. O estilo de vida mapuche melhorou só a partir do ano 500 d.C. quando eles inventaram um bastão que poderia ser fincado no solo e segurar uma pessoa em pé para que ficasse numa posição ereta mais confortável e não invadisse sem querer a Argentina, por exemplo. No ano 1400 eles também inventaram meias feitas a partir de couro de porco que além de servirem de excelente molho à bolonhesa também ajudavam a proteger as pernas dos mapuches das varizes e demais doenças circulatórias causadas por uma vida inteira em pé (ou dormindo sempre com a cabeça voltada para o norte e os pés voltados para o sul).
Então em 1826 criaram a [[República Conservadora do Chile]] na qual dar o cu agora era proibido, bem como fumar drogas ou desrespeitar a família. Mas obviamente um estilo de vida tão tedioso e sem prazeres carnais não poderia durar tanto, então já em 1861 criam a [[República Liberal do Chile]] onde dar o cu, consumir drogas e desrespeitar a família passa a ser permitido. E em seguida, em [[1891]], seguindo a moda da época, houve uma revolução no Chile que estabeleceu a [[República Parlamentarista do Chile]] que agora tinha um congresso que decidia as coisas, muito embora os parlamentares nunca souberam governar o país, tipo até hoje, e deixaram uma bagunça tão grande que até mesmo os livros de história mais sérios pulam este período da história chilena.
 
A [[República Presidencialista do Chile]] é instaurada em 1925, trazendo para os chilenos algo mais personalista, no qual se destaca o presidente de 1970 [[Salvador Allende]] que trouxe os ideais marxistas no qual todas as propriedades do Chile passaram a ser bem do Estado e cada chileno obrigado a contribuir de acordo com sua capacidade e receber de acordo com a necessidade, embora felizmente uma burocracia imensa tenha impedido que a miserabilidade tenha se tornado igualitária no país. Tratados comerciais foram assinados com governos bem simpáticos como Cuba, CoréiaCoreia do Norte e Venezuela (mas sempre com os Estados Unidos vistoriando todas as mercadorias radioativas) e o único comércio entre esses países com o Chile era a importação e exportação frenética de livretos de propaganda soviética em brochura.
 
=== Chile de Pinochet ===
=== Turismo ===
 
[[Arquivo:Placachile.jpg|thumb|left|O Mais famoso restaurante de [[Santiago]] do [[Chile]] onde [[Pinochet]] torturou sem pena [[Salvador Allende]].]]
 
O destino turístico mais popular do Chile fica a 3.700  km de distância do Chile, e estamos falando da famosa [[Ilha de Páscoa]] que recebe turistas de todo mundo curiosos em ver aquelas cabeçonas fincadas na terra e tentando para sempre entender como e para que os polinésios fizeram aquilo. Tal qual a ilha de Páscoa, outro destino turístico popular envolve um lugar inóspito onde você mais sofre do que relaxa, e estamos falando do Atacama, também visitado por pessoas que desejam experimentar mais ou menos como é o solo marciano.
 
Quanto aos turistas que não gostam de aventura, a melhor opção é ficar em Santiago apreciando a briga de torcidas de futebol local ou os chilenos queimando patrimônio público em mais um protesto contra o governo, tudo enquanto bebe o famoso vinho chileno que não tem gosto de uva. As paisagens são sempre belíssimas, toda cidade chilena tem seu próprio [[Monte Fuji]] particular, [[Puerto Varas]] e [[Puerto Montt]] tem seu próprio Monte Fuji, e quanto mais ao sul mais montanha pra apreciar, com o ápice desse turismo obrigatoriamente alpinista uma visita ao [[Glaciar Brüggen]] onde você pode ver bastante gelo e passar muito frio no processo.
Apesar da sua colonização, no Chile não fala espanhol nem castelhano, o idioma oficial do país é o [[Cagasteshano]], uma deformação da língua espanhola promovida por vários programas de TV, jornalistas sem formação superior e manos da quebrada chilena. O Cagasteshano é um dialeto bastante onomatopaico e por isso a única regra é que não há regras.
 
A palavra mais comum é ''"flaite"'', que significa algo como "pivete", "trombadinha", "moleque", "fodido", "favelado" e serve para evocarinvocar pelo menos 70% da população do Chile. A palavra-chave é "weon" que serve para "amigo", "parça", "tu", "você", "ele", "cumpadi".
 
Nesse idioma, ofensas e xingamentos tipo "comi tu ermana" não deve ser entendido como "comi sua irmã" literalmente, mas sim como um elogio. Por isso uma expressão como "por favor, pode me emprestar dinheiro?" fica "paza la monea feo guliao, si no te amo a cortarte la llugularh!!!" enquanto "sou um gênio" fica "chaa loko soi tirriivle pulento!!"
59 680

edições