Mudanças entre as edições de "Adolf Hitler"

2 617 bytes adicionados ,  00h08min de 24 de agosto de 2018
<font size="1">* Segundo o governo americano, foram, na verdade, 30 milhões de pessoas mortas e 20 milhões de soviéticos. Afinal, [[Comunismo|comunistas]] não são pessoas!</font>
 
===Hitler e os brasileiros====
Hitler odiava o Brasil, pois todas as vezes que ia a praia de [[Copacabana]] para apreciar garotos de sunga sempre pisava em coco de [[cachorro]].
Como nunca via quem era o responsável pela caca, e a praia estava sempre cheia de brasileiros chegou a três conclusões: 1°) a coisa mais óbvia, não eram os cachorros que cagavam na praia, calçada, rua, barzinho e etc, eram os brasileiros; 2°) Os [[carioca]]s só vivem na praia vadiando, ou seja, eles eram na verdade [[baiano]]s; 3°) não teve terceira conclusão, Hitler não sabia fazer contas.
Hitler então enviou seu principal médico sádico [[Josef Mengele]] para dar um jeito nos brasileiros, tipo melhoramento genético via cruzamento com [[babuíno]]s, injeção de tinta azul nos olhos, pintura com cal para ver se acabava com tanta negritude e miscigenação da população, embora de antemão tivesse a certeza de que os brasileiros eram caso perdido, mas os garotões morenos de sunga eram um colírio para os seus olhos.
Mengele após um profundo e minucioso estudo científico de dez minutos caminhando pelo calçadão de Copacabana, não pôde caminhar mais porque seus sapatos já estavam cobertos de [[merda]] de cachorro, enviou a seguinte carta com suas conclusões e recomendações a serem aplicadas aos brasileiros, que por problemas de espaço apresentaremos apenas seus pontos principais, a saber:
* Os brasileiros são macacos que caíram de árvores e não conseguiram voltar para lá porque são burros demais para isto.
* A única solução possível para os brasileiros seria matar todos, enterrá-los e plantar uma árvore em cima, resolvendo assim também o problema do desmatamento.
* Enviar para ele óculos de sol, carteira com dinheiro, máquina fotográfica, calças, e um par de sapatos porque até os que estavam cagados ele perdeu no arrastão que teve na praia.
A carta nunca chegou a [[Berlim]] porque os [[Correios]] estavam em greve e quando afinal voltaram às suas atividades de amassar cartas e rasgar pacotes, o caminhão foi saqueado a caminho do aeroporto quando o motorista foi morto ao entrar em uma [[favela]] orientado pelo [[Waze]] para contornar uma queima de pneus no meio da estrada patrocinada pelo [[MST]].
 
Ao que tudo indica Mengele se amancebou com uma baiana negra e gorda (que na verdade era carioca fantasiada de baiana) que vendia acarajé na calçada do [[Theatro Municipal]], que sabia que o caminho para o coração de um homem passa antes pelo estômago. Ao que tudo indica, não tiveram filhos porque o Mengele não deixava a baiana passar a noite na rua.
===Carreira artística===
[[imagem:Frau_hitler1-240x300.jpg|thumb|esquerda|Adolfinho com seu uniforme favorito!]]
1 178

edições