Lógica

Yoda.jpg Poucas imagens esse artigo tem. Novas imagens adicionar considerar você vai!!!
Este artigo poucas ou nenhuma imagem ilustrando-o possui. Padawan, que você é quase um Jedi mostre, e novas imagens a ele adicione.
Que a força com você esteja!
Wikify.png Por favor, alguém arrume este pobre artigo segundo as diretrizes estabelecidas no livro de estilo antes que alguém infarte lendo esse artigo mal formatado...
AVISO: NÃO REMOVA ISSO ANTES DE TER CERTEZA ABSOLUTA QUE O ARTIGO JÁ FOI COMPLETAMENTE "WIKIFICADO", SENÃO VOCÊ PODERÁ SOFRER AS CONSEQUÊNCIAS!
Dica: não sabe como wikificar um artigo? Então leia AGORA o nosso tutorial de wikificação! Ou peça ajuda para os usuários mais experientes...

A Lógica foi criada pelos gregos antigos, juntamente com a Astronomia. Basicamente, é uma forma de organizar o raciocínio e a argumentação, de forma a que somente os afortunados com este saber saibam como fazer.

Com as grandes navegações, a Lógica foi levada aos outros países do mundo. Infelizmente, graças ao Tratado de Tordesilhas, essa incumbência coube à Espanha, o que explica por que a lógica nunca chegou ao Brasil.

A parte mais básica da Lógica é o estudo dos argumentos. O exemplo mais conhecido é o silogismo de Sócrates:

Outro exemplo

Logo Steve Wonder é Deus.

Os argumentos mal construídos podem se transformar em tautologias ou em contradições. As primeiras referem-se às falas dos políticos, médicos e apresentadores de tevê, que formulam frases que aparentemente têm conteúdo, mas na realidade nada significam.

Contradição é um argumento em que a conclusão contraria as premissas, que por sua vez concordam com a conclusão, o que é um paradoxo.

Entenda melhor a lógica

Se você gosta de peixes, é lógico que você tem aquários. Se você tem aquários, é lógico que você tem uma casa grande. Se você tem uma casa grande, é lógico que você tem uma família grande. Se você tem uma família grande, é lógico que você é casado. Se você é casado, você não é gay.

Resumindo, se você não tem um aquário em casa, você é gay. Essa é uma das explicações ciêntíficas mais aceitas até hoje sobre a lógica.