Abrir menu principal

Desciclopédia β

World Painted Blood

Lego-beatles-abbey-road.jpg Este artigo trata de um álbum

E provavelmente tem só duas músicas que prestam.

Conheça o resto da playlist clicando aqui.

Cquote1.svg Porra! É o sangue de quando eu ainda menstruava, caralho! Cquote2.svg
Dercy Gonçalves sobre World Painted Blood.
Cquote1.svg Hum... é mesmo? Cquote2.svg
Calvin (Eu, A Patroa e as Crianças) sobre citação acima
Cquote1.svg Gostei da homenagem. Cquote2.svg
Elizabeth Bathory sobre "Beauty Through Order"
Cquote1.svg Tentando me copiar, não é safadinho? Cquote2.svg
Death Magnetic sobre produção do World Painted Blood.
Cquote1.svg Acho que irei morrer depois desse álbum Cquote2.svg
Jeff Hanneman sobre seus poderes de vidência.
Cquote1.svg E o prêmio de melhor grupo de velhinhos metaleiros vai para... Cquote2.svg
Sílvio Santos sobre World Painted Blood.

World Painted Blood é o décimo álbum do Slayer. Foi o último com Hanneman por ele ter virado presunto alguns anos depois, por minhocas assassinas que corroem o estomâgo de uma pessoa depois a mata e a devora morta.

Imagens exclusivas da primeira menstruação da Dercy.

Índice

AntecedentesEditar

Depois do apagão elétrico de novembro de 2009 o Slayer decidiu criar um álbum antes que a energia elétrica acabasse novamente.As coisas já não eram como antes, no começo da carreira, os membros da banda estavam velhos e tinham família, por isso suas criatividades foram para Roraima (onde?!) deixando todos muitos frustrados. Daí decidiram reciclar o que lançaram antes e colocar de novo no álbum, pensando que os fãs não perceberiam e os alienados não perceberam mesmo , mas perceberam! E xingaram muito no Twitter como forma de protesto. O álbum foi lançado em 2009.

ProduçãoEditar

Cópia carbono do Death Magnetic. Ou seja: ALTO PRA CARALHO! Parece que esses arrombados do Slayer pensam que os seus alienados fãs são surdos. Se for escutar esse álbum escute pelo menos no volume dois. Já é o suficiente pra fazer sua casa tremer.

RecepçãoEditar

Esse álbum ganhou vários prêmios. Entre eles estão o de Avestruz do Ano e de Fanfarronices na Guitarra. A crítica especializada ainda não julgou o álbum por ser muito ruim .

Conteúdo líricoEditar

Aquela condessa que matava geral, ódio, mutilações, psicopatas, fim do mundo e várias coisas da mente insana de Kerry King.

MúsicasEditar

  • World Painted Blood/ Sangue de Menstruação - Fala da primeira vez que Dercy se sentiu uma mulher de verdade.
  • Unit 731/Grupo de Exterminío - "Você roubou a padaria? Vamos ali ter uma conversinha..."
  • Snuff/Filme Snuff - Se você não gosta de Faces da Morte ou Holocausto Canibal não escute essa música.
  • Beauty Through Order/ Beleza Nunca é Demais - Então por que você tem cara de fuinha? (Não sabe o que é fuinha? Foda-se! Vai pesquisar então.)
  • Hate Worldwide/Amor Global - Vamos nos amar, pessoal!
  • Public Display of Dismemberment/Dessossou, concretou e deu pro cachorro comer - Humor negro aqui não, cazzo!
  • Human Strain/? - Eu sei lá que porra é essa!
  • Americon/? - Idem com o de cima.
  • Psychopathy Red/Gosto do Vermelho - Fala sobre um assassino que só matava quem estava vestido de vermelho.
  • Playing With Dolls/Maricas - Quem brinca de boneca ou é menina ou outra coisa...
  • Not of This God/Du Capeta - Se não é de Deus é de quem então?

IntegrantesEditar


Tonzinho - Chileno tocador de baixo
Quinquinho - Careca tocador de clarinete
Hanneminho - Cabeludo tocador de oboé
Lombardinho - Zé-ninguém tocador de punheta.