Touro mecânico

Radio Controlled Robosapien Style Robot Toy Roboactor.jpg Este artigo é sobre uma MÁQUINA!

Ela sabe brincar, pular, cantar, destruir, esmagar e, no futuro, vai escravizar a humanidade e dominar o mundo. Então, cuide muito bem dela e não vandalize este artigo!


Cquote1.png Experimente também: Dramin Cquote2.png
Sugestão do Google para Touro mecânico
Cquote1.svg Ele é mais poderoso do que eu! Cquote2.svg
Protagonista apelão aleatório de anime sobre touro mecânico

Touro mecânico fazendo mais uma vítima em seu expediente
Minitouro.png

O Touro mecânico é uma antiga engenhosidade de repressão e tortura inglesa criada no final da Idade da Pedra (ou não), que veio a se tornar extremamente popular em parques de diversão e presídios de segurança máxima dos Estados Unidos. Consiste em uma máquina amaldiçoada que simula um chifrudo furioso encarnando uma entidade de algum boneco de posto (ou de uma traveca prostituta) que balança e chacoalha mais que o avião da Chapecoense, ou o seu irmão com epilepsia assistindo o fatídico episódio perdido do mal de Pokémon, tentando derrubar e jogar o pedaço de estorvo montado nele na parede ou, como na maioria dos desenhos animados, lá na dama-da-noite que o concebeu. Ainda é um "brinquedo" muitíssimo usado em festinhas infantis, sendo uma garantia segura de entretenimento para os pimpolhos e para o tiozão de cara suja que controla a bagaça, que pode tacar moleques fedorentos no chão à vontade sem ninguém ligar pro 190.

OrigemEditar

 
Parece que Nicolau achou um substituto para seu veado teimoso (notem o famigerado "Made in China", em chinês, na esquerda da foto)

Nos anos de 1900 e lá vai o touro, antes do tempo em que minha vovó jogava pelada FUTEBOL na esquina, um certo mecânico barrigudo, sem muita criatividade na cachola e com muita merda acumulada nas tripas, teve a ideia incrível e totalmente aleatória de construir um tipo de carrossel inovador para os pimpolhos se divertirem porque para os macacos é que não seria. Porém, o senhor em questão tinha um leve grau de esquizofrenia combinado a um quadro crônico de Alzheimer, e criou uma espécie de boi com tremores generalizados e com movimentos de um dublê de filme pornô, o que cagou todo o projeto e fez com que o homem obeso desistisse da ideia rapidamente. O projeto de corno em questão, baixando uma macumba baiana das pesadas e por outros motivos totalmente ignoráveis para nós, do nada ganhou vida e resolveu vingar-se daquele bando de animais trapaceiros comedores assíduos de miojo e tapioca (a.k.a humanidade). Assim recalcado e sentindo-se renegado por ver aqueles outros cavalos de carrosel tão bonitinhos e esbeltos como gazelas alegres saltitando na campina ou estupradores na Parada Gay, fugiu do... hã... do lugar onde ele morava (???) e saiu por aí, em direção a algum lugar inventado pela minha imaginação.

Maas, o nosso cabeça-pesada não esperava pelo inesperado: o véio mecânico barrigudo fedendo a égua velha e álcool, vindo de um pé-de-guerra básico com sua patroa que envolveu trocas amigáveis de socos, tiros, RPGs, muitos tapas nos moleques, muitos especiais de porrada e algumas granadas nos vizinhos, estava estupidamente gelado porre. Totalmente bêbado e cambaleando mais que paraplégico com paralisia cerebral, veio por trás do touro-boi-macumbado-revoltado, invadiu seu espaço pessoal desrespeitando a regra meu corpo minhas regras e o resto da história todos já sabem. Mas então o cara engravidou um touro? MACHO? Dessa história bem bizarra e nojenta de zoofilia homossexual que desejo nunca mais narrar pelo resto de minha vida, o touro ficou grávido e nasceu o futuro aclamado Touro mecânico.

  Mas o touro mecânico é um brinquedo de parque, não um filho de um zoófilo gay com um animal-ciborgue hermafrodita!  
Algum moleque chato lendo o artigo

Ah, vai catar macacos... O touro mecânico, ao saber de suas origens nada vergonhosas, teve uma crise existencial e se enfiou num ferro para poder maltratar todos os humanos, igual aquele seu primo que virou boiola graças a um teste do BuzzFeed! Pronto, satisfeito?

Seus primeiros diasEditar

 
Em sua fase de adolescente na puberdade (também em seus primeiros dias), um dos Touros Mecânicos desistiu de ser brinquedo e passou a ser um super-herói

Em seus primeiros dias de vida, o touro começou engatinhando (não da forma literal, pois ver um touro engatinhar deve ser algo traumatizante), mas logo ele se mostrou um animador de parques de diversão profissional, porrudo e muitas pessoas curtiam o brinquedo, principalmente aqueles que desistiram da vida, choravam no banho e cortavam os pulsos, então acabaram achando um método eficaz de se sacrificarem obrigatoriamente por livre e espontânea vontade antes que outra pessoa (ou coisa) faça isso, além de ser melhor do que ir na Carreta Furacão, sem aqueles jogos de luzes, casos de atropelamentos e ver o Popeye da cabeça e punhos gigantes sair no soco com um favelado mil grau.

Entretanto, a real causa dele ter começado a ganhar público foi por causa de seu método de amigável extinção de qualquer pessoa que entrava no brinquedo, seja por ele ficar puto, seja por ele ficar tonto, seja por ficar puto e tonto, ou nos piores casos, quando davam (e ainda dão até hoje) pó branco e orvalho adulterado como comida para ele; e tal qual o Elemento X que deixava as Meninas Superpoderosas SUPERPODEROSAS, com esta terapia o touro ficava superpoderoso, enxergava tudo roxo, girava e ficava tunado pra porra. Por causa deste e vários outros fatores citados ele começava a se balançar para literalmente todos os lados que se possa imaginar — X, Y, Z e π —, resultando em traumatizar pessoas eternamente, como por exemplo Stephen Hawking, que teve que aturar as sequelas deste rodeio artificial até o dia de virar presunto, e também Sylvester Stallone, que ficou com a cara amassada pelo resto de sua vida.

Repercussão no mundo inteiroEditar

 
Nem com as celebridades o touro deixa barato...

Desde que chegou aos Estados Unidos e à falida Europa Ocidental, o brinquedo foi um sucesso imediato entre a garotada e nerds caneludos ruivos que agem como retardados beirando a estupidez. Fez pontas em muitos filmes famosos, como por exemplo, Caubói Urbano, com ninguém menos do que o famoso João Outra-Volta, e até chegou a aparecer em As Visões da Raven e também no Filme do Sônio Azul, onde o próprio foi uma vítima do touro. Ele já tinha muita fama, mas uma parte sua estava vazia, tinha um grande oco em seu ser: ele precisava de uma amante, de preferência que tivesse um buraco, algo ou alguém que o fizesse feliz, como sempre quis, que chame de amor, dê carinho e flor... E assim, num lance de mágica e numa situação bem aleatória também, algum cientista louco criou a vaca mecânica, que é praticamente um touro mecânico com skin de vaca virou o amor da vida do touro. Eles viraram os verdadeiros Bonnie e Clyde de latão, estavam sempre juntos e destruíam tudo que olhavam, a diferença entre eles e o casal de bandidos americanos é que os bovinos citados são blindados o suficiente para suportarem uma rajada de tiros em uma emboscada, diferente dos outros dois azarados aí citados.

Infelizmente, a vida do touro e da vaca sofre uma brecada quando acabaram fazendo cosplay de Up - Altas Aventuras e sua esposa acabou contraindo um câncer terminal e deixou como herança os 8½ filhos. Com um gesto carinhoso e de despedida (só para esconder o fato que ele não iria ter culhão para cuidar dessa quantidade de pivetes), o Touro pai pede para todos os seus filhos viverem sozinhos e serem autodidatas, migrarem e explorarem o mundo inteiro para honrar a sua mãe, fazendo com que o Touro mecânico ganhasse popularidade na América do Sul, Ásia, Oceania, na quitanda da Martinha e no Acre, mas o que ele não esperava é que o mundo estava beirando uma futura guerra causada por ele mesmo.

Rivalidade com os CarrosséisEditar

 
O dito Touro quando fez um bico - ou melhor, um chifre - no WWE.

Algum tempo depois, o touro viu que os carrosséis fecharam um acordo milionário na base da conversa e negociação, dando neles um grande upgrade. Pelo fato deles não machucarem ninguém, eles logo ficaram bem mais famosos, fazendo com que o Touro passasse a odiar carrosséis e, toda vez que ele via o Cirilo ou a Maria Joaquina na televisão ele jogava o controle nela, quebrando-a, eram tempo difíceis e conturbados em sua vida...Mas como ele jogava a porra do controle se ele não tinha polegares opositores?

Depois de um tempo, após ficar 6 meses em coma devido a um uso excessivo de Whisky (vide seu primo distante), o Touro passou a trabalhar como flanelinha, o único problema era que ele quebrava todos os vidros do carro quando ficava puto porque não pagavam, em outras ocasiões virou gari, carpinteiro e outros exemplos que não foram citados aqui, de preferência, olhe para o gif ao lado. O Touro Mecânico continuou tendo esta crise depressiva por mais alguns anos até finalmente dar o braço (ou a pata) a torcer e partir para sair no soco com aqueles cavalos mequetrefes que ficam levando a merda infanto-juvenil em círculos, e então ele escolheu logo o mais famoso do mundo para começar sua revolução de uma vez por todas.

E assim começou, o Touro sozinho, repito, sozinho deu um jeito nos cavalos de lá, os que renunciavam seu cargo no brinquedo ou fugiam ou se juntavam à família do Touro mecânico e só conseguiam ver o fogo e sangue se alastrando no local (por mais que os cavalos não tenham sangue, eles caíram no chão esmagando crianças por perto, igual uma jaca na bosta). Após o acontecimento histórico, a Organização das Nações Unidas fez um Tratado de Versalhes parte 2, mal eles sabiam que o Touro dava para pagar todas as despesas do tratado graças aos seus anos trabalhando em várias coisas ao mesmo tempo, fazendo com que o mundo inteiro o perdoasse por suas ações. Hoje em dia está por aí, ainda se balançando e esperando o dia de dar o bote nas crianças (entendam errado) e começar mais uma revolução com equipamentos mais tecnológicos.

O multiverso do touro mecânicoEditar

 
O galo-robô bizarro do Senai também foi inspirado na ideia do touro mecânico. Tá, pode ser que não tenha prestado, mas temos que dar créditos à criatividade do bendito que concebeu "isso"

Com o imediato sucesso do brinquedo em parques de diversão e outros infernos (leia-se evento do Teleton), surgiram várias versões paraguaias amaldiçoadas desse troço, desde galos-robôs grotescos do Senai, passando por touros um pouco mais, hã, "inclusivos" até touros realmente mecânicos. E assim também começaram a aparecer "memes" de quinta categoria na internet e piadinhas engraçadalhas para aqueles boomers de cinquenta anos que choram por uma sessão de Golden shower com o Flavão Bananinha, o novo travecão do bairro. Muitos fazendeiros e caubóis pressionavam seus bois para de alguma forma beber um elixir mágico ou, sei lá, fingir que é um touro e fazer igual aos demais, enfiar um ferro no cu e balançar pra todo lado igual àquelas vadias com o shortinho mostrando o útero que curtem um funk pancadão e distribuem a xavasca pra qualquer zé durante o final de semana inteiro. Porém, muitos desses acabavam não sobrevivendo ao tamanho daquele anal forçado, afinal não era comum qualquer mamífero sentir algo do tamanho de um extintor de incêndio dentro de si, a menos que já sobreviva dessa profissão há décadas.

Alguns preguiçosos nem cismam em fazer um touro, muito menos mecânico, pegam o primeiro cachorro de rua que encontrarem na esquina ou no bar do Seu Zé, seu amigo de longa data e botam chifres nele, e para ter a impressão de que é mecânico colocam dedos artificiais dentro do cachorro para ficar puto e desejar com todas as forças exterminar todos os seres humanos, Pastores Alemães e Huskies Siberianos são os mais indicados, mas apenas em lugares onde residem os magnatas.

Como se tornar um profissional desta inteligência artificial mortíferaEditar

Primeiramente, se tornar um profissional de touro mecânico não é uma coisa fácil nem útil, mas para não transformar isso em um bicho de sete cabeças, este artigo preparou uma seção especial somente para você e sua insistência doentia em querer dominar o mundo ou não ter nada melhor para fazer, então vamos lá.

 
  You spin me right round, baby, right round like a record, baby, right round, right round  

A primeira coisa que se deve prestar atenção quando for brincar no brinquedo são os controladores. Olhe atentamente a cara daqueles filhotes de Lúcifer mandados para a superfície apenas para propagar caos e mortes entre as crianças; preste atenção em seus movimentos de mão altamente precisos e minuciosos de décadas de prática, como se estivessem aprendendo linguagem de sinais ou tendo convulsões localizadas. A diferença é que aprender uma série de "jutsus" pífios para surdos é algo chato e entediante, mas pelo menos você não terá o risco de morrer. Outra dica importante - e talvez a mais difícil - é virar amigo do controlador, mas você deve se perguntar:   Por que a mais difícil?   Bem, você já viu o histórico de crimes cometidos por aqueles marginais foragidos? Imagine que eles são parentes distantes do Zé Pequeno, mas eles cagam e andam tanto para o mundo que conseguem ter a audácia de chegar no dito primo e ainda chamá-lo de Dadinho, o que é considerado crime dentro da Cidade de Deus. Por isso é uma tarefa muito difícil, você tem que ter os mesmos gostos e fetiches do que ele, participar dos mesmos rituais satânicos que ele acompanha até ele finalmente te notar e vocês se tornarem grandes amigos inseparáveis[carece de fontes]. Após isso, espere o turno dele chegar (geralmente de noite, pois o fluxo de crianças masoquistas e inocentes aumentam) e suba no touro, ele irá pegar leve com você e terá um ótimo período montado no chifrudo de metal.

Mas caso você seja um cagão, fujão, plebeu e medroso, você pode simplesmente optar em aprimorar suas habilidades, nas quais pode-se usar táticas ilegais de forma discreta, como segurar a barriga do touro para não cair e ficar totalmente abraçado, você irá entrar em detalhes disso na parte do Kama Sutra na seção abaixo. Outra pode ser enrolar a corda que você usaria para se suicidar como instrumento de sustentação no seu pulso, de forma com que você não consiga cair e fingir que tem um equilíbrio divino; a única desvantagem dela é que no final o que vai cair não será seu corpo, mas sim sua mão inteira devido ao bombeamento sanguíneo e outras coisas chatas pra caralho inventadas por médicos de quinta categoria.

Após finalmente dominar uma das ou até mesmo as duas técnicas, você vai finalmente estar apto para se levantar DURANTE o rodeio, todos vão te aplaudir e te parabenizar, gritando aos montes seu nome e proclamando:   É! O Brasil é um lugar melhor agora! Esse país vai pra frente!   Uma horda de animais se curvam diante de tanto poder, um coro de véias da Igreja vai ficar cantando óóóóó... e você pode se autoproclamar rei do mundo, até o controlador se abre (não confunda com sair do armário) e te parabeniza e lhe dá um grande abraço, foi um feito e tanto jogar meses e anos de sua vida fora só para conseguir se equilibrar em um brinquedo que não funciona direito e que está caindo aos pedaços.

Lugares onde se pode achar um dessesEditar

 
  Sei não chefia, acho que vai ter que trocar o carburador  
  • Fazendas
    Nas fazendas e ranchos, os animais são criados para diversas coisas, como meio de subsistência (leite, carne e outras bagaças) ou exportação (leite, carne e outras bagaças). E se eu te disser que há fazendas especializadas em touros mecânicos?? Não, elas não criam brinquedos para vender aos mafiosos de parques de diversão, mas sim verdadeiros bois que aprendem a consertar um motor, trocar o óleo e arrombar um Monza. Esse ramo do agronegócio tem crescido vertiginosamente no Brasil adivinhe o porquê e traz muitos lucros aos fazendeiros. Os touros mecânicos são desgraçadamente talentosos para trazer uma caranga de volta à vida mesmo não tendo dedos ou um boné sujo de graxa.
  • Festivais e exposições rurais
    Sabe aqueles festivais rurais de quinta categoria mal-organizados? Para os pimpolhos entupidos de algodão-doce que nunca viram um bode ou outro troço caipira na vida e ficam apontando para qualquer coisa que a vista alcance, esses eventos são sinônimos de diversão. Os organizadores, provavelmente mexendo alguns pauzinhos lá no meio da vigilância sanitária e do Inmetro para poderem passar na vistoria, conseguem trazer aqueles brinquedos gigantescos e mal-acabados que possuem ferrugem até na madeira, garantindo um mínimo (mínimo) de segurança para os corajosos que metem a cara pra ficar sacudindo e rebolando dentro daquelas coisas rangendo, para depois vomitarem todos os hambúrgueres e comida de três dias atrás; além disso, por alguma bruxaria e mandingagem conseguem trazer todo tipo de criatura para esses eventos, incluindo cachorros-do-mato, sucuris de quinze metros e cabras gritadoras. Pois bem, infalivelmente encontraremos no meio dessa baderna descontrolada o visado touro mecânico. Uma mina de ouro para os retardados com câmeras a tiracolo que caçam videocassetadas por aí, é sempre um dos brinquedos mais queridos pelos moleques fedorentos e adultos que agem como crianças (e uma ou outra véia de vez em quando). É também uma oportunidade de ouro para aqueles que nunca viram um rodeio na vida, além das novelas da Globo, se sentirem um pouco country e poderem dizer aos amigos que já montaram num boi, mesmo que seja num simulacro mal-feito.
  • Festinhas infantis
    Nos famosos aniversários de criança ou qualquer festinha escolar paga pela vaquinha que os próprios alunos fazem, onde todo mundo combina de levar uma coisa para a festa e todos acabam levando aqueles estoura-buchos de cinco reais, se houver um infeliz que tenha pilas o suficiente para alugar algo mais caro, as crianças podem se divertir com um touro mecânico já que ninguém liga pro palhaço mesmo. Em caso de ser uma festinha de pobre, o touro pode ser improvisado com sei lá, uma daquelas molas gigantes de parque e uma bicicleta com um pano em cima. Embora tenha a possibilidade de que sempre saia um ou outro kid com a sobrancelha estourada (ou com pequenos problemas no traseiro) e que provavelmente irá para a UPA mais próxima, a ideia pode dar certo e o entretenimento é garantido.
  • Parada Gay
     
    Não preciso nem falar nada, né?
    Olhe, é até óbvio que alguém fosse imaginar que a galerinha da banana arco-íris poderia curtir sentar deliciosamente no chifrudo enquanto grita como uma bicha louca, mas ninguém imaginaria que isso se daria de um modo diferente (quer dizer, até que sim). Como tudo hoje em dia pode ser adaptado para LGBTQ+s, tipo num verdadeiro apartheid para 137 orientações sexuais diferentes, algum amaldiçoado conseguiu bolar um tipo de touro mecânico exclusivo para gays, indecisos e crianças travestidos de tiozões barbudos de 1,80m que querem dar uma de engraçadalhos pra todo mundo. Assim bem-adaptado e obviamente um tanto afrescalhado, essa porra acaba tomando uma forma bem bizarra do que os viados homossexuais mais adoram, e nem preciso dizer o que é, mas pode ter certeza que é algo rosa.
  • Presídios de segurança máxima
    Usado principalmente em estados norte-americanos que ainda têm a pena de morte como punição capital, o touro mecânico é uma arma mortífera de destruição, pior até que a cadeira elétrica. Além de deixar o desafortunado em cima dele tonto pra caralho e com os fluidos do corpo em lugares onde não deveriam estar, ainda tem o bônus de jogar violentamente a pessoa pra onde o vento quiser e a última coisa que ela verá é o demônio balançando enquanto dá mil giros no ar (quer dizer, não sei se será mesmo a última coisa que ele verá...), ainda mais nos Estados Unidos, onde as câmaras de gás execução têm medidas de 3x3m em média. Há estudos que indicam que a execução por touro mecânico é mais letal que a cadeira elétrica. Uma execução que é mais letal que a outra??? Me deu tela azul
  • Lutinhas do WWE
    E com todo esse sucesso em quase tudo que se pode imaginar, é claro que não poderia faltar um dos nossos bovinos nos ringues e octógonos, e olhe que não estamos falando do anabolizado de voz fina e canela de titânio, nem do Minotauro e seu irmão paraguaio do UFC. Os touros mecânicos são praticamente impossíveis de se derrotar com aquelas sacudidas que parecem mais um drogado com ataques epilépticos e sendo possuído pelo próprio Cramunhão, daí é até óbvio que eles destruiriam os lendários pugilistas, praticantes de kung-fu, moças barbudas e marombadas e analistas de sistemas que lutam na WWE.
  • Tutoriais de Kama Sutra
    Embora sendo apenas figurativamente, o touro marca presença também no mundo da putaria libidinagem do famoso Cama-Surra com a discreta posição do touro mecânico. Essa pose divertida consiste em obrigar, digo, colocar sua cremosa (ou seu cremoso, aqui na Desciclopédia somos inclusivos) de quatro no chão ou em cima de qualquer bagaça que aguente o peso de dois idiotas. Daí você deve abraçar seu cônjuge na cintura, como se estivesse tentando desengasgá-lo; e então tente colocar o carro pra dentro da garagem lenta e suavemente até sua cabeça (a que está em cima do pescoço) alcançar os ouvidos dela ou dele. Encoste sua boca ao ouvido e sussurre o nome da vagabunda que vive mandando nudes para você. Agora tente permanecer em cima da fera por nove segundos.

Galeria da diversão (ou não)Editar

v d e h
  O Desafio dos Artigos da Desciclopédia  
Edições: 1 - 2 - 3 - 4 - 5