Abrir menu principal

Desciclopédia β

Rock the Casbah

Este artigo é sobre um HIT!

É uma música chata, repetitiva e seu vizinho adora. SOLTE O SOM!

Music madonna.jpg

Rock the Casbah é a segunda música que os posers conhecem do The Clash, depois de Should I Stay or Should I Go é claro. Quer dizer, essa é, de fato, a música mais conhecida do The Clash, até porque 99,9% do planeta não sabe quem canta shurastai o shuralgo (isso parece nome de personagem de Cavaleiros do Zodíaco), ainda mais depois da série infanto-juvenil Crianças Estranhas da Lacraflix.

Mas chega de falar de shurastai o shuralgo (pra você ver como o sucesso de The Clash só se resume a uma música). "Rock the Casbah" é uma música que conta as tremendas confusões em que a banda se meteu numa viagem ao Oriente Médio.

Índice

HistóriaEditar

 
Foto rara de Jalim Rabei tirada pelo Estado Islâmico

Em 1982, o The Clash era uma banda conhecida muito conhecida por... algumas pessoas. Entre elas estava um judeu, que era ninguém menos do que Samuel Blaustein, aquele da escolinha, ainda muito moço, quando usava o dinheiro dos bar-mitzvah pra ir aos shows de rock. Samuel acabou virando empresário e amigo pessoal da banda (até porque era o único com dinheiro no meio daquele bando de vagabundo pobre e sujo) e arranjou um show para eles lá no Recanto das Arábias. "Ué", você deve estar perguntando, "mas judeus e árabes não são inimigos de morte?" Ah meu amigo, o buraco é muito mais embaixo do que você pensa...

Mas enfim, Samuel arranjou o show com um amigo de longa data sua, o vendedor de esfirras Jalim Rabei. Ele arranjou as passagens para um voo clandestino diretamente para o aeroporto de Bagdá e organizou o show da banda em uma mesquita abandonada em uma "casbá" (é assim que chamam as favelas por lá), com direito a estadia numa pousada com piscina e TV a cores (era luxo na época). Depois de uma passadinha no Burger King local pra experimentar o Whopper de carne de camelo (horrível por sinal), a banda foi se apresentar para uma enorme multidão de 50 pessoas. João Estrume, vocalista da banda, conta mais tarde em sua autobiografia não autorizada que não soube como reagir ao se dar conta de que iria tocar para tanta gente.

O show estava correndo bem, quase metade das músicas já haviam sido tocadas quando de repente se houvem batidas furiosas na porta da mesquita. Até então, a banda não sabia, mas desde a Revolução Iraniana, em 1979, qualquer tipo de música que lembrasse os Estados Desunidos ou qualquer coisa que fizesse parte da civilização cristã ocidental estava permanentemente banida, sob a pena de morte. A notícia do show vazou no meio da casbá (ou nem foi necessário, já que a barulheira toda pode ter sido o suficiente pra chamar a atenção de todo mundo) e chegou aos ouvidos do xerife local (em muslim, eles chamam de shareef), que mandou parar com essa porra.

 
Khomeini nada feliz ao ver um bando de ocidentais fazendo bagunça no seu país

Quando avisaram aos membros da banda, eles se emputeceram. Já estavam tocando no meio do nada, prum monte de beduíno fedido que não tomavam banho e ainda levavam os camelos pra dentro, deixando um fedor horrível de bosta; ficaram sabendo que iriam receber na moeda local e não em libras estéreis esterlinas, como combinado, e ainda por cima agora seriam expulsos por um maomé qualquer da vida. Mandaram o shareef tomar dois litros de refrigerante noku.

Furioso, o shareef fez aquilo que todo árabe faz quando fica puto: explodiu! Passou um telegrama direto pro aiatolá Ruhollah Khomeini, que em questão de minutos enviou um esquadrão aéreo comandado por homens-bomba pra mandar os infiéis pelos ares. A banda notou a presença deles quando em meio a barulheira que faziam, começaram a ouvir uns gritos de ALLAHU AKBAR vindos de longe. Tiveram que parar o show no meio então, e saíram pela porta dos fundos da mesquita, entrando de fininho no carro do Jalim Rabei e seguindo até o aeroporto clandestino mais próximo para pegar um voo de emergência para Londres. O que a banda não percebeu no calor do momento, é que na verdade os pilotos não estavam atacando, mas sim curtindo o som, e começaram a detonar umas bombinhas pra animar a festa, mas como tudo que envolve "árabe" e "bomba" dá merda (ainda mais se tiver "avião" no meio), eles passaram uma impressão errada.

Enquanto voltavam para casa, o vocalista João Estrume registrou toda a jornada no seu diário de cama, que o baterista Topper Headon leu enquanto ele dormia e lhe serviu como letra para uma melodia que ele, digamos, compôs acidentalmente no piano um dia desses. Quando João acordou e ouviu a música pela primeira vez, exclamou:   Topper!  

ClipeEditar

O clipe da música foi gravado em duas partes: a primeira é a banda tocando no meio do deserto, em uma plataforma de petróleo semi-abandonada. Foi o melhor que conseguiram pagar com o cachê do show. A segunda são imagens lá das Arábias, incluindo imagens do fatídico show e aventuras de Samuel e Jalim curtindo a vida adoidado. Samuel teve que pagar tudo obviamente, pois era quem tinha mais dinheiro dos dois, mas fez questão de pechinchar o máximo que pôde.

LetraEditar

OriginalEditar

 
A banda em sua fuga para o aeroporto. Estrume foi atingido por estilhaços de uma explosão que o deixaram parcialmente cego

Now the king told the boogie men
You have to let that raga drop
The oil down the desert way
Has been shakin' to the top
The sheik he drove his Cadillac
He went a cruisin' down the ville
The muezzin was a' standing
On the radiator grille

Shareef don't like it
Rockin' the Casbah
Rock the Casbah
Shareef don't like it
Rockin' the Casbah
Rock the Casbah

By order of the prophet
We ban that boogie sound
Degenerate the faithful
With that crazy casbah sound
But the bedouin they brought out
The electric camel drum
The loco guitar picker
Got his guitar picking thumb
As soon as the Shareef
Had cleared the square
They began to wail

Shareef don't like it
Rockin' the Casbah
Rock the Casbah
Shareef don't like it
Rockin' the Casbah
Rock the Casbah

Now over at the temple
Oh, they really pack 'em in
The in-crowd say it's cool
To dig this chanting thing
But as the wind changed direction
And the temple band took five
The crowd caught a whiff
Of that crazy casbah jive

Shareef don't like it
Rockin' the Casbah
Rock the Casbah
Sharia don't like it
Rockin' the Casbah
Rock the Casbah

The king called up his jet fighters
He said you better earn your pay
Drop your bombs between the minarets
Down the Casbah way

As soon as the Shareef was
Chauffeured outta there
The jet pilots tuned to
The cockpit radio blare

As soon as the Shareef was
Outta their hair
The jet pilots wailed

Shareef don't like it
Rockin' the Casbah
Rock the Casbah
Shareef don't like it
Rockin' the Casbah
Rock the Casbah

Shareef don't like it
Rockin' the Casbah
Rock the Casbah
Shareef don't like it
He thinks it's not kosher
Rockin' the Casbah
Rock the Casbah

Shareef don't like it
Rockin' the Casbah
Rock the Casbah
Shareef don't like it
Fundamentally he can't take it
Rockin' the Casbah
Rock the Casbah

Shareef don't like it
You know he really hates it

TraduçãoEditar

 
O Sheik e seu Cadillac

O rei disse para seus agentes
Vocês precisam parar com esse raga
O óleo que corre pelo deserto
Está se agitando todo
O sheik dirigiu seu Cadillac
Atravessando a vila
O muezim estava em pé
Na grelha do radiador

O Shareef não gosta
De rock no casbá
Rock no casbá
O Shareef não gosta
De rock no casbá
Rock no casbá

Por ordem do profeta
Banimos esse som dançante
Que degenera os fiéis
Com o som louco do casbá
Mas os beduínos trouxeram
Uma bateria eletrônica em um camelo
O guitarrista louco
Dedilhou a guitarra dele
Assim que o Shareef
Deixou a praça
Eles começaram a cantar alto

O Shareef não gosta
De rock no casbá
Rock no casbá
O Shareef não gosta
De rock no casbá
Rock no casbá

Agora ali do templo
Oh, eles estão lotando o lugar
A multidão diz que é legal
Curtir essa cantoria
Mas quando o vento mudou de direção
E a banda do templo foi embora
A multidão pegou um restinho
Daquele ritmo maluco do casbá

O Shareef não gosta
De rock no casbá
Rock no casbá
O Shareef não gosta
De rock no casbá
Rock no casbá

O rei chamou seus pilotos
E disse: É melhor vocês fazerem valer o seu salário
Joguem suas bombas entre os minaretes
Ao longo do casbá

Assim que o shareef
Foi embora com seu motorista
Os pilotos sintonizaram
O rádio do cockpit em um som pesado

Assim que o shareef
Os deixou em paz
Os pilotos cantaram

O Shareef não gosta
De rock no casbá
Rock no casbá
O Shareef não gosta
De rock no casbá
Rock no casbá

O Shareef não gosta
De rock no casbá
Rock no casbá
O Shareef não gosta
(Ele acha que não é kosher)
De rock no casbá
Rock no casbá

O Shareef não gosta
De rock no casbá
Rock no casbá
O Shareef não gosta
(Fundamentalmente ele não aguenta)
De rock no casbá
Rock no casbá

O Shareef não gosta
Sabia que ele realmente odeia

Ver tambémEditar