Ponte da Amizade

Carro pessoal.jpg Esty artygo é dy pobry!
Esty artygo é sobry koyzas dy póbry, peçowas póbrys
y o dono taméyn dévy dy sê un pobretãwn do karáy!


Uma de cada duas pessoas que você está vendo nessa imagem, está carregando um maço de cigarro debaixo da calça.

Cquote1.svg Olhaaa a farinha, no lado do Paraguai é mais barato! Cquote2.svg
Muameiro comercializando na Ponte da Amizade
Cquote1.svg Documento!RG!Nota fiscal.....Opa..dinheiro?...Ok, pode passar! Cquote2.svg
Fiscais da Ponte da Amizade exercendo o seu trabalho de evitar que produtos ilegais entre no Brasil


A Ponte da Amizade também conhecida como Ponte da Muamba é o maior corredor comercial do mundo, escoando 99% da produção mundial de muamba do Paraguai para o Brasil. Além disto, é considerada como a linha reta de menor comprimento que liga o Brasil diretamente com a China, pois é óbvio que o Paraguai não possui fábricas para desenvolver produtos como este computador que você está usando para ler a Desciclopédia.

Estima-se que 195% da produção brasileira de cigarros passe por ali. 100% são os cigarros legítimos que são produzidos no Brasil, revendidos e restrazidos ao Brasil para não pagar imposto. 95% são cigarros brasileiros piratas.


HistóriaEditar

Antes de ser fundada, muambeiros brasileiros e paraguaios tinham dificuldade de levar a sua mercadoria para o Brasil atravessando o Rio Paraná com troncos de bananeiras. Com todo esse problema cobraram o governo de ambos os países para a construção de uma ponte para a comercialização dos produtos que eram transportados do Paraguai para o Brasil. Na década de 50 foi iniciado o projeto da Ponte da Amizade, o nome é claro, tem tudo a ver com a ponte, afinal, as pessoas saem de lá felizes e voltam com dinheiro no bolso, sorrindo e fazendo amigos. Antes disso a sugestão de nome era Ponte Pirata, mas o Paraguai apresentou nota fiscal e o nome foi mudado.

A ponteEditar

A Ponte tem meio quilometro de comprimento. Lá se passam de tudo, em sua maioria ônibus, curiosamente sem nenhum passageiro, apenas o motorista e as suas longas bagagens. Também o fluxo de carros é grande, principalmente viatura da policia que vai pro Paraguai fiscalizar as mercadorias. (ta, ninguém acredita nisso. Eles vão é pra comprar um cigarrinho lá mesmo porque é mais barato).

Como todas as travessias, estão os pedestres. Curiosamente a maioria parece ser homem, pois o que você mais encontra atravessando a ponte são homens com um volume de alguma coisa entre as calças de tamanho chamativo. Parecido com o Homem Berinjela, os fiscais nem dão muita bola para o volume dos paraguaios, pois tem medo de pegar mal fama no país.