Não é lugar de sentar.

Lugar não existia, tanto fazia se alguém na Era de quando todo mundo tinha cara de macaco(e agora tem cara de que?), estava cantando debaixo do esgoto da cascata ou peregrinando pelo gelo e parando para se aquecer a não desenvolver o perneta pé de trincheira. Podia estra no Bosque encantado ou na Casa do Caralho: sim, já existia.

Lugar de falaEditar

Como o lugar de fala numa wiki é de quem está escrevinhando no momento, antes que algum filho de rapariga cisme de melhorar as páginas que em 10% das vezes melhora, em 10% fica a mesma merda e em 80% das vezes, piora... wiki é esse lugar, mas sendo virtual não devemos levar para o lado físico pessoal. Todo lugar que se preze onde as criaturas não sejam mudas e felizes, deve-se esperar que um fale, depois outro se manifesta, porém nunca dá certo, então nem vamos mais dissertar acerca do maldito lugar de fala.

 
Não é lugar de comer.

Papagaios sim, têm lugar de fala, mas é só, eles costumam falar palavrões porque é o que os humanos gostam de falar ou de ensinar mesmo, mas não íamos mais dizer nada sobre lugar de berro fala, mas citar o papagaio foi porque ele é ensinado a mandar tomarem naquele lugar e isso é de grande importância aqui. Por quê...? Porque foi assim que lugar surgiu: do meio do ânus cu. Infelizmente lugar poderia ter surgido de outra forma, como por exemplo alguém mostrar em que lugar encontrou água após quase morrer de sede e coisas assim, mas nada disso, nada cristalino, nada poético, nada heroico: todos os lugares definidos surgiram após definir o lugar do cu.

Não é preciso consultar a Marcia Tiburi pra se saber disso, nem é preciso ser especialista em ânus(deixemos o cu descansar), também não é preciso ser o camarada desse: fiscal de cu, ambos são da mesma espécie, mas embora eles saibam que não podem ter saído do cu, apesar de um chamar o outro de bosta, a bosta pode servir de adubo, mesmo a humana, pesquise sobre como os japas fazem isso.

...e o lugarEditar

O lugar não existia, tanto fazia, então alguém cismou de querer definir direitinho onde era o ânus(já disse pra deixarmos que o cu descanse um pouco, ele é muito dito, escrito e gritado), não que os humanos primitivos fossem tão burros que não soubessem, mas é que algumas mulheres reclamavam que na cópula, os machos queriam algumas vezes, o buraco errado, então exigiram que o guru(isso também sempre teve, assim como o cu), que até que era mesmo um guru sábio, coisa difícil de se achar hoje, mas ele teria que definir em que lugar ficava a vagina e em que lugar ficava o ânus, pra que nenhum homem das cavernas se enganasse mais e as mulheres da tribo ficassem em dúvida sobre o que dar

 
Não é lugar de... fazer porra nenhuma.

Definido o devido lugar do cu, isso passou para o macro e cada lugar passou a ser lugar de fazer alguma coisa, uma vez que o ânus era lugar de defecar, não de copular... mas se a moça das cavernas quisesse e tomasse as precauções, então esse lugar podia ser pra copular.

Lugares surgindo, alguns passaram a ter dono e ser território, o estranho é que antes disso nenhum território era invadido. Lugares não podem ser invadidos a não ser que o roubo se chame apropriação, confisco, ocupação entre outras coisas mal explicadas, por isso proteja seu cu lugar.

Não se sabe se após definir as coisas em seus lugares, esse problema de territórios invadidos passaram a ser apropriações devidas ou invasões indevidas, mas também quem não queria gastar o cu a palavra, passou a dizer até hoje: vai tomar naquele lugar.