Fissão nuclear

Mantenha distância... ALLAHU AKBAR!!!!

Esta página contém elementos bélicos, químicos, atômicos ou bombásticos,
podendo causar um grande estrago no computador (e na mente) do leitor.
Funny Explosion.jpg


Se isso ocorrer é porque a separação de átomos foi bem sucedida

Fissão nuclear é uma forma limpa de conseguir energia, tirando o fato que o lixo radioativo contamina todo o tipo de matéria e pode transformar seres vivos em mutantes, mas ainda considera-se limpa. Consiste em bombardear um átomo de algum elemento, mas não bombardear com bombas aéreas e tal. Normalmente usa-se o urânio, que é mais fácil e barato (até o Brasil consegue, mesmo tendo tecnologia a bambu), mas também pode ser usado o tório, que tem esse nome por causa do deus do trovão da mitologia nórdica, Thor, que fazia bastante energia, mas é mais difícil usar o tório porque ele se defende com o martelo.

Na verdade não importa muito o metal que será usado, a porra da usina sempre corre o risco de explodir e transformar a população local em peixe-lagarto de três olhos e dois ânus. A fissão nuclear é bem diferente da fusão nuclear, já que a fusão nuclear ainda não foi descoberta acidentalmente por um cientista que estava tomando café e jogando Minecraft, então esta só ocorre no Sol, enquanto aquela já existe desde a Segunda Guerra Mundial e já fez maravilhas com as cidades de Fukushima e Chernobyl/Pripyat.

Como funcionaEditar

A fissão nuclear funciona como um micro-ondas gigante, com um trilho ferroviário no meio, alguns trens circulando, e uma vítima amarrada nos trilhos, que será dividida em várias partes, igual àquela explicação matemática do Seu Madruga na escolinha do Professor Girafales sobre o Quico. Porém, a vítima amarrada nos trilhos é igual à Plastique, vilã do Nuclear (as coisas estão se encaixando), e se for dividida ela explode, e libera uma grande quantidade de calor.

O calor liberado no processo acima esquenta uma panela enorme cheia de água e miojo, e essa água evapora tão rápido que não dá nem tempo pra esquentar o miojo ou pra dar um mergulho (até dá, mas na hora da fissão o mergulhador evapora junto com a água e ajuda a criar energia). Esse vapor de água sai nuuuuuma velooocidade que gira um cata-vento colocado perto da boca da torre de resfriamento da usina (então aquela fumaça que sai da torre é só água? Ufa, eu sempre achei que era gás tóxico mutagênico!). Esse cata-vento faz parte de um sistema elétrico, que produz a energia.

Processo de fissãoEditar

A processo de fissão ocorre quando a humanidade rouba o núcleo do urânio que, naturalmente furioso, explode numa onda de calor, e se acalma, virando novos átomos de urânio sem utilidade, com novos núcleos. O poder tá todo nesse núcleo, por isso chama-se fissão nuclear. Apenas o urânio enriquecido pode ser detonado na experiência, mas após a situação ele vira um urânio empobrecido, além de ser partido ao meio e vira lixo radioativo. É uma péssima aposentadoria pra quem trabalhou toda a sua vida.

É engraçado porque, apesar de ele ter uma quantidade de nêutrons menor e, por conseguinte, uma massa atômica menor (mais magrinho), ainda assim ele é chamado de "enriquecido", mas somente com essa massa menor é que ele fica malucão e explosivo, e ele não quer virar um urânio empobrecido. O processo da fissão nuclear tenta devolver esses nêutrons faltantes ao urânio enriquecido, e isso é o que causa o problema porque ele tenta recusar os nêutrons, explode, libera energia e vira o urânio empobrecido, descartado nas praias.

Esse processo de fissão não é usado apenas em usinas nucleares. Ele pode ser usado também em outras coisas úteis, como as bombas atômicas. O poder da fissão nuclear para criação de energia supera muito o poder do carvão, do diesel e do frango com batata doce.

Ver tambémEditar