Abrir menu principal

Desciclopédia β

Desnotícias:Fracassam negociações por Olivença

Este artigo é parte do Desnotícias, a sua fonte de ignorância 24 horas por dia.

BADAJOZ, Espanha


A cimeira iniciada na última quinta-feira entre António Costa e Pedro Sánchez para resolver de uma vez por todas a Questão de Olivença, que se arrasta por mais de dois séculos, foi abruptamente dada por encerrada após as negociações entrarem em um impasse sobre as condições necessárias para a reincorporação de Olivença ao território português. O evento foi vastamente coberto pela imprensa e considerado como a segunda versão do Tratado de Badajoz, onde seria assinada uma versão retificada do tratado, devolvendo o território disputado para o controle português.

Os dois primeiros dias da cimeira aconteceram em território português, na cidade de Elvas, onde os primeiros-ministros discutiram por horas enquanto assistiam o julgamento que resultou na condenação de uma mulher conhecida apenas como "Elisa" à punição mais severa encontrada no Código penal português: representar Portugal no Festival Eurovisão da Canção. Jornalistas do El País chegaram a revelar por Twitter que uma das propostas mais interessantes era a cessão de mil milhões de euros anuais à Espanha por um período de cinquenta anos, oferta esta que interessou bastante ao premiê espanhol, porém este exigiu mais tempo e considerações extras.

No sábado, a cimeira mudou-se para o outro lado da fronteira, onde as negociações começaram a ficar mais intensas. Costa começou aumentando sua proposta, oferecendo comercialização livre de impostos para todos os produtos manufaturados na Galícia. Sánchez contra-atacou, aumentando esta isenção de impostos a todos os produtos manufaturados em Espanha. Costa voltou atrás, oferecendo uma escolha de primeira rodada no draft da NFL e o direito de João Félix de jogar na Seleção Espanhola de Futebol, porém Sánchez subiu novamente as exigências, adicionando às exigências uma escolha compensatória que pertencia ao Reino Unido antes do Brexit, alegando que João Félix não tem utilidade na seleção local, pois no futebol internacional não são permitidas tais negociações, e mesmo que fossem, ninguém seria estúpido o suficiente para pagar cento e vinte milhões de euros em um puto que, além de não se chamar Kylian Mbappé, jogava no Benfica.

No domingo, a expectativa era que ambas as partes chegariam em breve ao fim deste impasse de mais de duzentos anos. No entanto, em uma reviravolta inesperada, Costa decidiu que a escalada de exigências acabaria por prejudicar ambos os países, propondo uma troca de territórios. O premiê português começou a nova rodada de negociações oferecendo Elvas aos espanhóis, pois, segundo Costa, era uma cidade com infraestrutura já pronta e com tempo de adaptação extremamente curto, já que era uma cidade fronteiriça. Sánchez replicou a oferta pedindo por uma cidade mais populosa. Costa então mudou o foco das negociações para o norte, onde ofereceu Guimarães para os espanhóis, o que Sánchez e sua comitiva consideraram um insulto, fazendo com que a comitiva espanhola abandonasse a sala de negociações imediatamente.

O premier espanhol, claramente enfurecido, anunciou o final das negociações em uma conferência de imprensa.

Cquote1.png Nós repudiamos a oferta dos representantes portugueses pois é uma proposta na qual a Espanha não ganha absolutamente nada em troca de Olivença. Cquote2.png
Pedro Sánchez respondendo aos repórteres da TVE sobre a razão pela qual a cimeira de negociações por Olivença foi encerrada

Pelo lado espanhol, o resultado foi amplamente comemorado por políticos de todos os espectros políticos.

Cquote1.png Nós do VOX estamos extremamente satisfeitos com o fracasso das negociações. O problema não era perder Olivença, isto era perfeitamente aceitável, o pior foi quando o comuna do Costa tentou envolver um local sem nenhuma utilidade como moeda de troca. Cquote2.png
Santiago Abascal sobre o fracasso das negociações por Olivença

Enquanto isso, pelo lado português, a lamentação dava o tom das declarações.

Cquote1.png É uma vergonha! Era a nossa única oportunidade de nos livrar daquela imundície. Foda-se, agora como é que vou justificar na Assembleia da República que é uma vergonha que a GNR não tem uma bomba nuclear para jogar em Guimarães? O que vamos fazer com aquela merda? Cquote2.png
André Ventura sobre o fracasso das negociações por Olivença


FontesEditar